BLOG

  • Emmanuel Kanter

Saúde Mental na Pandemia do COVID 19


Entrevista concedida ao departamento de imprensa da AMRIGS dia 6 de Abril de 2020


1) O mundo está vivendo uma pandemia. É um momento que muitas pessoas, ao verem as notícias, entram em pânico. Fazem a limpa nos supermercados nas farmácias e a ansiedade aumenta. Quais os riscos que esse pânico pode causar à nossa saúde? Além dos óbvios transtornos que o comportamento orientado pelo pânico pode gerar, como os citados acima, a ansiedade está ligada a diversos problemas de saúde. Piora a saúde cardiopulmonar, diminui a imunidade, piora o sono, facilita a tomada de escolhas negativas (como uso de álcool de maneira exagerada, alimentação inadequada, etc.) e, em última instância, não colabora em nada. O pânico é uma herança de sistemas neurológicos de sobrevivência, úteis na presença de uma ameaça concreta com a qual se pode lutar ou fugir. Todavia na situação atual não há luta nem fuga. O medo é natural e saudável e pode nos orientar prudência, mas a desregulação emocional tem pouco a oferecer. Há tolerância, temperança e boas decisões. Há rotina, cuidados com a saúde, com a higiene. 2) Existe uma forma de controlar esse pânico generalizado? A primeira coisa é evitar a desinformação. A abundante quantidade de 'fake news', mensagens virais em redes sociais e aplicativos de conversa, mais confundem do que promovem bem estar. Mesmo para especialistas em epidemias e infecções as informações mudam de maneira vertiginosa! Apenas no futuro teremos conhecimento claro. Então mantenha-se informado da maneira essencial, e restrinja o tempo dedicado a isso ao mínimo. Prefira uma estrutura diária disciplinada e vinculada a seus valores, ao que é importante para você. É importante manter uma conexão com o mundo, simbolicamente. Então mantenha um horário e quantidade de sono apropriados. Mantenha os hábitos de higiene, não confunda a situação com férias ou final de semana. Acordar cedo, tomar banho, escovar os dentes, limpar a casa. Existem muitos tipos de exercício físico que podem ser realizados em espaços restritos, como pular corda, fazer apoios, abdominais, agachamentos. Se possível na sua casa, tome sol. Leia literatura. Escute música. Mantenha ativo o contato com amigos, familiares, amores. Planeje sua semana, sua alimentação saudável. Esses hábitos ajudarão a manter o emocional sob controle e a saúde pronta para o caso de uma possível contaminação, inclusive. Porém, se intensos sintomas se mantiverem, diversos psiquiatras e psicólogos estão atendendo online para terapias breves, focadas em lidar com essa situação anômala. 3) Por que é importante praticar a empatia neste momento, como na questão dos supermercados e farmácias, de não sair na rua, pensar no próximo, nas pessoas do grupo de risco, por exemplo? Quais os benefícios dessa prática? Os benefícios da compaixão são enormes - se para mais ninguém, no mínimo para a pessoa que a pratica. Não é a toa que é valorizada e estimulada pela maioria das religiões e tradições espirituais. É a peça fundamental também de qualquer psicoterapia. Devemos pensar na humanidade coletiva como um órgão. Se uma célula do fígado promove algo que será perigoso para todo o fígado, por exemplo, desencadeia-se uma cirrose ou hepatite, é ruim para todo o sistema, inclusive para aquela célula. Uma pessoa que acumula álcool gel e priva outros deste bem estará, logo em breve, cercada de pessoas contaminadas. Eu não gostaria de estar nesta situação! Do ponto de vista da mente sábia, não existe diferença entre cuidar de si e cuidar do coletivo. Sempre que esse conflito existe, ele é causado por aspectos menos sofisticados da mente. 4) Quais dicas você daria para as pessoas manterem a tranquilidade, a positividade e preservarem a saúde mental em tempos de pandemia e de quarentena? Além disso, o que elas podem fazer para distração e passatempo durante esse momento? Como respondido na questão 2, sem dúvidas ter uma estrutura diária e semanal é fundamental para manter a saúde (mental, física, espiritual) durante essa situação. A tríade sagrada da saúde é sono, atividade física e alimentação saudável. Restringir o tempo para ler besteiras sobre o COVID19 em redes sociais é fundamental. Uma meditação acerca dos valores, do que é importante, do que é belo, vai orientar a pessoa. Isso é um processo individual, nenhuma sugestão específica (como “leia a bíblia”, “leia mises” ou “leia marx”) vai ajudar. É importante que a pessoa se conecte consigo e aproveite esse tempo para se desenvolver exercendo atividades artísticas, profissionais, de estudo, organização. Iniciar um bullet journal, ter um cronograma diário de atividade física, videoconferência com amigos e família, tudo isso permite com que os dias sejam cheios e ricos! 5) Como as pessoas que estão com seu emprego em risco ou que já perderam seu emprego em função da crise da pandemia podem manter sua saúde mental, lidar com essa situação? Da mesma maneira que as demais. É fato que muitas pessoas perderão empregos, terão prejuízos financeiros. Não sabemos quantas vidas serão perdidas em razão disso, quantos mais adoecerão. Todavia durante esse período é possível se qualificar em cursos online, planejar que medidas serão tomadas para melhorar o currículo e a apresentação após o isolamento, ou mesmo pequenos empreendimentos, ou redirecionar os já existentes. Os pequenos empreendimentos são a maior fonte de empregos no Brasil, e no vácuo que surgirá haverá demanda para muitas pequenas empresas e os empregos que elas trarão.

É tempo de se organizar, não de se desesperar. 6) E para quem está fazendo home office? É possível ter organização? Certa vez li sobre um sujeito que trabalhava em casa. Adotou uma sala para ser seu escritório. Acordava cedo, tomava banho, punha roupa de escritório, mesmo gravata. Se confinava lá das 8 às 12. Saía de lá, afrouxava a gravata, almoçava com a família, sesteava, às 14 voltava. Ficava até as 18. Então saía. Não mudou sua rotina estar em casa ou no escritório.

Para quem trabalha com home office é muito fácil borrar os limites entre casa e trabalho, trabalhar horas em demasia com menos eficiência pois interrompe e se distrai a todo momento. Há estudos mostrando que, após uma distração, leva-se muito tempo para retomar o trabalho apropriadamente. Então é importante estabelecer limites em algo duros.

Fones de ouvido com música sem letras ajudam a se isolar do ambiente, assim como combinações claras com os coabitantes. Estes vão querer mais tempo. É importante dar qualidade de tempo. Enquanto se está trabalhando de maneira confusa, nenhuma atenção é verdadeiramente dada. Quando o trabalho está realizado, pode-se focar nas comunicações presenciais ou online com atenção plena. 7) É benéfico e válido ter um pensamento positivo de que a situação passará logo? Ou é algo desesperançoso e frustrante, e não deveria ser praticado? O pensamento positivo muitas vezes é confundido com um pensamento mágico ou idealizado. Este frustra quando não acontece e não prepara a pessoa para as situações que ocorrem a todo momento. O verdadeiro pensamento positivo é: O que de fato está acontecendo, e como posso lidar com isso sem perder minha saúde? Como posso melhor aproveitar meu tempo e recursos? Esse gera bem estar na medida que os eventos se desdobram e a pessoa encontra-se preparada, saudável e progressivamente feliz.

17 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Rua Saldanha Marinho, 33. Sala 808 | Menino Deus | Porto Alegre/RS

WhatsApp: (51) 99128 4632

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

© EMMANUEL KANTER

Todos os direitos reservados